Seja bem vindo ao meu mundo de idas e vindas.
E que você venha e vá, mas volte sempre!

Passaram por aqui

domingo, 24 de outubro de 2010

As pessoas sempre reclamam das coisas que mudam, do que não acontece pra elas, do que elas queriam que fossem mas não é. Nunca pensamos em como elas realmente devem ser.
Há algum tempo atrás eu me lembro de ter chorado muito em um dia, ter sentido uma dor muito forte no peito, tem me magoado, ou melhor, ter sido magoada. Me lembro como se fosse hoje do sentimento de decepção que cresceu em mim. E eu pensei 'por que isso está acontecendo comigo?'. Não conseguia entender como aquilo podia estar acontecendo, o que eu havia feito de errado, como tanta coisa mudaria, em que eu poderia ter errado.
Foi então que, depois de muito tempo - confesso -, eu parei pra pensar e cheguei à seguinte conclusão: eu não errei em nada. Eu não tinha culpa, nem a outra pessoa, na verdade. E aos poucos a ferida cicatrizou e passei a deixar o tempo dizer.
Há pouco tempo eu tive uma surpresa. Percebi que, mesmo com o passar de alguns anos, NADA havia mudado. Senti uma felicidade enorme quando a pessoa veio falar comigo. Eu realmente não esperava. E foi muito bom, me senti bem, senti saudade, lembrei de tudo que passamos, lembrei de como éramos amigos, de como eu podia contar com essa pessoa. Lembrei de como nossa amizade era diferente, de como éramos... IRMÃOS! E eu percebi que mesmo tanta coisa tendo mudado, continuei sentindo o mesmo carinho, a mesma consideração por essa pessoa. E o melhor... mais uma lição:
As coisas acontecem como devem acontecer. Talvez se não tivesse acontecido aquele problema, se eu não tivesse chorado tanto, se não houvesse sido magoada, não haveria mais a amizade. E esse era o momento pra tudo voltar. Se eu tivesse corrido atrás disso antes talvez não teria dado certo. Eu deixei o tempo agir. E deu certo. Agora vejo que realmente não podemos forçar as coisas, nem as pessoas. Deixe que o tempo mude, que a maturidade cutuque e que a saudade machuque. Assim você verá que não importa o quanto o tempo passe, ou o quanto a distância aumente, o sentimento - se real - ainda existirá.

Espero, de verdade, que volte a ser como era antes, aliás, que seja melhor. Ou ainda que seja como deve ser.


Eu sei que fiquei muito tempo sem postar, mas a inspiração não vinha. E mais uma vez, o tempo me mostrou um grande motivo para escrever!

Arquivo do blog