Seja bem vindo ao meu mundo de idas e vindas.
E que você venha e vá, mas volte sempre!

Passaram por aqui

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Olá, Dezembro! :)

Vai chegando o final de mais um ano. E é a época em que a gente mais faz balanços da vida. O que fiz, o que preciso fazer, o que não posso mais fazer, o que deixei de fazer... A gente começa a sentir saudade do que ficou pra trás e o que vai ficar. Pensamos em pessoas que eram importantes pra gente e sumiram, por algum motivo ou não, mas deixaram saudade. Pensamos em como queríamos que algumas coisas tivessem sido diferentes, que a gente não tivesse implicado tanto com coisas sem importância e perdido tempo raro de felicidade. Devemos aproveitar cada segundo do nosso dia, da melhor maneira possível, para que possamos viver nossa vida, não apenas estar nela.
Esse é meu último ano na escola. E isso nunca mais vai se repetir. É o fim da vida escolar, o começo da minha vida adulta, do que vou fazer até o fim da vida, se Deus quiser.
Amigos que vão se afastar, amigos novos que vão chegar, lembranças de momentos - bons e ruins - que serão só lembranças e vontade de voltar pro lugar onde não vejo a hora de sair.
Quero muito 2010! Quero o cursinho, quero São Paulo, quero novos amigos, ficar mais perto dos velhos, levar comigo os novos, me preparar pro meu sonho, liberdade, morar sozinha, ter meu cantinho... Uma nova vida me espera.
Estou ansiosa para os vestibulares chegarem ao fim, para que venham as férias, o fim da escola, a formatura que eu não terei, a viagem que farei no Natal e a que farei nas férias, os livros que poderei ler, a casa que eu poderei arrumar, o quarto novo onde vou dormir, o material que eu vou comprar, as saudades que eu vou sentir, o carro que vou dirigir, as pessoas novas que vou conhecer e o adeus que darei à fase que ficou para trás.
Daqui a pouco começa o último mês do ano, e isso é ótimo. Que venha Dezembro e que seja maravilhoso para terminar 2009 muito bem e começar 2010 ainda melhor!
A vida só tá começando e a hora de mudar é agora.
E viva a vida!

domingo, 29 de novembro de 2009

Borboletas: o que seriam delas se não pudessem voar?


Eu já vi, por diversas vezes, coisas iguais - pelo menos a olho nu - e nunca tinha parado pra pensar se na verdade não fossem a mesma coisa. Tá, eu vou explicar.

Acredito que todo mundo já ouviu que o que é nosso sempre volta e que não devemos prender o que amamos e sim deixá-las livres para que elas voltem se realmente forem nossas. Eu já admirei muita coisa na minha vida: paisagens, flores, céus, estrelas, pôres-do-sol, animais, pessoas... e muitas vezes eu voltei a vê-las. Isso é um sinal. Sinal de que se algo é importante pra gente ele retorna. Sinal de que o mundo não pára, mas a vida é feita de encontros, novos e reencontros e é isso que traz a essência.
Hoje eu vi uma borboleta com asas roxas, ela parecia frutacor, com brilhos perolados e rosados. Eu achei ela tão linda, mas tão linda, que por um instante me esqueci do meu medo e passei a admirá-la. Depois de uns 5 minutos ela voou para longe, mas eu não queria que isso tivesse acontecido. Até que pensei: "eu conheço essa borboleta". E eu realmente conhecia. A conheci no meu sonho, uma vez, em um jardim lindo, cheio de flores... copos-de-leite, girassóis, rosas e azaléias e havia uma única borboleta nesse jardim, igualzinha a que eu vi hoje. E então eu entendi que ela voltou pra mim, de uma maneira diferente, mas voltou. A admiração foi a mesma no sonho e na realidade: eu a observava pela beleza, física e por estar livre, por voar por entre as flores do jardim sem medo, por experimentar do néctar de muitas flores diferentes e gostar de todos. Por isso eu amo as borboletas... Elas são livres, para voar, para ser, para amar o néctar de todas as flores sem sofrer preconceito por seu gosto eclético.
É uma coisa tão simples, observar borboletas, e muito tola para alguns. Mas eu prefiro pensar nela assim, vê-la assim, do que imaginar uma vida sem elas. Eu tive vontade de guardá-la pra mim, para que eu a admirasse sempre que quisesse. Mas ela perderia a graça, porque seria comum vê-la, seria banal. E ela perderia seu brilho, porque não seria livre para voar ou sugar o néctar das flores. Então, prefiro admirá-la de longe, e quem sabe, encontrá-la novamente, ainda mais bela, mais forte e livre um dia.

Eu não sei se estou certa em ser assim, ou se isso é ser controladora, mas a verdade é que eu odeio quando faço planos e eles dão errado e não por minha causa.
A gente se programa, se organiza, deixa de fazer alguma coisa, vem alguém e simplesmente muda tudo, sem nenhuma chance de dar certo. Isso me revolta.
Não pessoalmente, mas num geral. É péssimo criar espectativas e surgir algum imprevisto que nos faça mudar de ação. De qualquer forma, não posso admitir isso e não me revoltar. Não é querer brigar ou discutir coisas indicutíveis - porque pra mim tudo tem uma solução -, mas acredito que se não falarmos o que pensamos ou sentimos não estaremos minimizando os problemas, pelo contrário, estaremos sendo condizentes com algo que não concordamos por medo de expor nossas opiniões.
Paz de voz não é paz, é medo!
Agora vou voltar a ser feliz, porque meu dia de hoje foi muito bom!
Quem sabe amanhã já não volto com novidades... SORTE, SORTE NA VIDA.

sábado, 28 de novembro de 2009

Coisas que eu sei






"Eu quero ficar perto
De tudo o que acho certo
Até o dia em que eu mudar de opinião

A minha experiência
Meu pacto com a ciência
Meu conhecimento é minha distração



Coisas que eu sei
Eu adivinho sem ninguém ter me contado

Eu gosto do meu quarto
Do meu desarrumado
Ninguém sabe mexer na minha confusão
É o meu ponto de vista
Não aceito turistas
Meu mundo tá fechado pra visitação


Coisas que eu sei
O medo mora perto das idéias loucas
Coisas que eu sei
É minha Lei

Eu corto os meus dobrados
Acerto os meus pecados
Ninguém pergunta mais depois que eu já paguei

Ás vezes dá preguiça
Na areia movediça
Quanto mais eu mexo mais afundo em mim
Eu moro num cenário
Do lado imaginário
Eu entro e saio sempre quando tô afim

Coisas que eu sei
As noites ficam claras no raiar do dia
Coisas que eu sei
São coisas que antes eu somente não sabia
Agora eu sei."



Vou deixar meus pensamentos por aqui, hoje.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Fim de semana


Eu sempre adorei finais de semana por diversas razões... Final de semana é sinônimo de descanso, prazer, diversão, sair da rotina, não precisar se preocupar com as coisas, relaxar e como o próprio nome já diz, é o final de mais uma semana! :D
Meus últimos finais de semana foram conturbados por causa dos vestibulares, mas esse será ótimo. E exclusivamente esse começou ontem. Saindo da escola fui pra casa da Sassá e a gente se divertiu horrores! Depois fomos pra pizzaria com a família dela, da qual já faço parte. Hoje eu não fui pra escola porque estou dispensada pra prova de Biologia porque eu já fechei e mais tarde tem comemoração com amigos do aniversário da Sá. Amanhã vou pra São Paulo passear com meus pais e meu gordinho, depois vou pra Brubs, vamos pra festa da Carol, vou rever o povo da Disney, depois vou dormir na Brubs e domingo volto pra Praia, vai ter ensaio da festa da Nani e fim hahaha
Semana que vem são os últimos dias de aula: prova de matemática, física e química só! O resto não vou precisar fazer e isso é ótimo. E então, se Deus quiser, FÉRIAS. E adeus pra escola. Ano que vem promete! Cursinho, faculdade, morar sozinha ou com a Sá... ai ai ai!
Quero logo o verão, o Natal, o Ano Novo, viajar, aproveitar, descansar, ir atrás das coisas da mudança...
Vou voltar pra realidade presente. Beijos :)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Aniversário da Sassá s2

Ai, eu sempre gostei de aniversários. Acho tão legal comemorar mais um ano de vida. Na verdade, todos nós deveríamos comemorar todos os dias por estarmos vivos.
Há 17 anos atrás, chegava ao mundo uma menininha - até então loira e branquela hahaha - de nome Samanta de Abreu Passos. Mas não seria apenas mais uma nesse mundo. Ela chegou com uma missão maravilhosa no mundo. Seu jeito único de ser, seu coração puro - o mais puro que já conheci -, o poder de alegrar a todos com um único sorriso, o orgulho que os outros sentem por ela estar por perto, o jeitinho de menina inocente e poia e a força, determinação e fé que ela tem é invejável.
Tanta gente se esforça pra ser um pouco do que essa menina é naturalmente. Mesmo quando não está bem, ela está ótima para ajudar a quem precisa dela. Ela conquista as pessoas de uma forma inexplicável e foi assim comigo.
Eu gostei dela desde a primeira vez em que a vi, mas não tive contato imediato com ela. Mas, no instante em que realmente a conheci, eu virei sua fã. Não dá pra explicar como ela é maravilhosa. Só de estar perto dela o clima muda, eu sinto uma paz, uma tranquilidade, me sinto bem e protegida. E com ela eu posso ser quem eu sou, sem medo.
Nossa amizade cresceu muito e de uma forma muito natural e, agora eu sei, que a vida toda eu esperei por ela, e ela por mim. Eu ganhei bem mais do que uma amiga, eu achei uma irmã. Aquela melhor irmã, com quem você se preocupa a todo instante, com quem você quer estar sempre, conversando, rindo, chorando, seja o que for, mas sempre junto. Um dia já é muito tempo sem ela.

Sá, minha Sassá
quero, mais do que tudo te agradecer, pelo menos um pouco, por tudo que você já fez por mim.
Obrigada por ter sido quem me entendeu, por ter me confortado e respondido a todas minhas perguntas apenas com um olhar. Obrigada por mudar meu dia com seu sorriso e por ter me considerado tão naturalmente sua irmã. Obrigada por me dar a HONRA de estar perto de você, por poder contar com você, por dividir comigo seus segredos e desabafos. Obrigada por existir na minha vida, por ser a irmã que eu não tenho, por me deixar tão segura, por me ensinar a dar valor ao que antes não me importava, por fazer de cada minuto ao seu lado um momento inesquecível. Obrigada por passar os dias comigo e por permitir que eu cuide de você. Obrigada por ser o meu anjinho da guarda, por me aguentar até mesmo quando nem eu me aguento. Obrigada por tudo, irmã. E você nem imagina o quanto é importante pras pessoas que estão ao seu lado.
Você é a MELHOR PESSOA QUE EU JÁ CONHECI! E pode acreditar nisso!
Eu sempre estarei aqui pra te proteger de tudo e de todos, pra te abraçar, te dizer que te amo, brigar com você, te xingar, te bater, te ouvir...
Feliz Aniversário!
Que sua vida seja sempre cheia dos melhores sentimentos e das melhores pessoas, afinal, você merece!
Te amo, te amo, te amo, te amo, te amo e te amo.
E ainda bem que ainda teremos muito tempo juntas para eu poder te dizer o quanto você se tornou essencial na minha vida.
Mais uma vez, eu te amo IRMÃ!

"Você: o sorriso mais lindo, o olhar mais sincero, o meu porto-seguro, a pessoa mais linda do mundo!" :)

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Sem o escuro não veríamos estrelas!

Sabe, eu sempre me lembro de coisas importantes depois de alguns acontecimentos. E isso aconteceu hoje.
Depois do post sobre nostalgia, eu resolvi que era hora de um tempinho só meu. Fui andar sozinha, passear pelo calçadão, ver um pouco o céu azul, sentir o sol na pele e ouvir o barulho das ondas. E isso me fez bem, muito bem.
Eu me lembrei que por mais que a gente se magoe, sofra, chore, a gente sorri depois. Tudo passa, sempre passa, mesmo que demore - e hoje, graças a Deus, nao demorou.
Precisamos passar por momentos difíceis pra nos lembrarmos que somos fortes para enfrentá-los e que a vida não é sempre um mar de rosas perfumadas. Vem a onda que nos acerta na cabeça, nos derruba da prancha, mas ela passa, e não só passa como desaparece!
A gente precisa de um tempo, ás vezes, pra colocar a cabeça no lugar, pra sintonizarmos o coração com a mente, para relaxarmos e aproveitarmos do silêncio de nossa companhia. Perdi a insegurança que senti no começo por não estar acompanhada por ninguém - apesar de ter tido oferecimento de companhia - e isso foi bom. Foi bom pra mim ver que posso estar bem apesar de só. Eu preciso perder essa dependência sentimental que tenho das pessoas que amo, seja quem forem, afinal, ninguém é eterno.
Tenho medo da solidão, da incerteza, da escuridão, do frio, do tempo, da morte... E de tudo que não me traz luz - visível ou não, do que me aquece, a alma ou o coração - e isso não é de agora. Mas eu estou melhorando, e isso é ótimo.
Não podemos nos deixar abalar. A noite é longa, mas o sol sempre volta a nascer.


"- É a hora do crepúsculo - murmurou Edward, olhando o horizonte a oeste, obscurecido pelas nuvens. Sua voz era pensativa, como se sua mente estivesse em um lugar distante. - É a hora do dia mais segura para nós. A hora mais fácil. Mas também a mais triste, de certa forma... O fim de outro dia, a volta da noite. O escuro é tão previsível, não acha?
- Eu gosto da noite. Sem escuro, nunca veríamos estrelas."
(Edward e Bella - Crepúsculo)


E sabe o melhor de tudo? Eu descobri que tenho várias estrelas no meu céu, mas que eu sempre fui a Lua. A que mais ilumina!

Nostalgia


"De ontem em diante serei o que sou no instante agora
Onde ontem, hoje e amanhã são a mesma coisa
Sem a idéia ilusória de que o dia, a noite e a madrugada
são coisas distintas
Separadas pelo canto de um galo velho
Eu apóstolo contigo que não sabes do evangelho
Do versículo e da profecia
Quem surgiu primeiro?

O antes, o outrora, a noite ou o dia?
Minha vida inteira é meu dia inteiro
Meus dilúvios imaginários ainda faço no chuveiro!
Minha mochila de lanches?

É minha marmita requentada em banho Maria!
Minha mamadeira de leite em pó
É cerveja gelada na padaria

Meu banho no tanque?
É lavar carro com mangueira
E se antes um pedaço de maçã
Hoje quero a fruta inteira

E da fruta tiro a polpa...
Da luta não me retiro
Me atiro do alto e que me atirem no peito
Da luta não me retiro...
Todo dia de manhã é nostalgia das besteiras que fizemos ontem


(De ontem em diante - O Teatro Mágico)


"Nostalgia". Muita gente desconhece esse sentimento sem saber que convive com ele diariamente. Todos os dias nos lembramos de algo ou de alguém que nos traz saudade. Daríamos tudo pra estar novamente em um lugar, com uma pessoa, fazendo algo ou voltar, simplesmente, ao passado e fazer algo diferente. Vontade de voar para o passado e viver tudo outra vez.

Geralmente a nostalgia nos faz pensar em como as coisas mudaram. 'Como foi bom', 'Como fui imaturo', 'Como as coisas mudaram' e 'Como eu era feliz e não me dava conta' são pensamentos comuns relacionados a esse sentimento. Todos os dias a gente gostaria de voltar em algum dia do passado - remoto ou próximo - e fazer algo novamente, igual ou diferente, mas reviver aquela sensação.
Hoje eu daria tudo pra ser aquela menina loirinha de olho azuis de 4 anos, brincando de boneca, sem problemas além de um joelho ralado por brincar de pega-pega com os amigos, sem pensar em tingir o cabelo, ou em comprar absorventes, ou ter que tomar remédio pra cólica, ou estudar pro vestibular. Sem pensar 'como será amanhã?', ou em como estou cada dia mais próxima de uma nova vida.
Queria voltar pra Disney, aproveitar tudo outra vez, fazer algumas coisas que não fiz e desfazer algumas bobagens feitas. Queria não ter perdido tempo com algumas pessoas e ter usado-o com outras.
Por isso gosto tanto de fotografar os momentos, os lugares e as pessoas. Muitas vezes as fotos são as chaves pras portas das recordações.

Geralmente os pensamentos nos trazem lamentações, de diversas maneiras
e por motivos diversos, mas o que seria de nós sem a saudade? Nós aprendemos muito olhando pra trás e fazendo diferente - ou igual - mais pra frente. Refletimos, sentimos saudade até do que não era tão bom, mas a verdade é que esse é o único sentimento demonstrado pelas nossas memórias.
Nostalgiar é saudadear, sentir falta, pensar. Reviver o futuro para sermos amanhã melhores do que fomos hoje. E não se lamente! A vida é isso: um período de constantes mudanças e aprendizados.

A vida com amor



A inteligência sem amor, te faz perverso.
A justiça sem amor, te faz implacável.
A diplomacia sem amor, te faz hipócrita.
O êxito sem amor, te faz arrogante.
A riqueza sem amor, te faz avarento.
A pobreza sem amor, te faz orgulhoso.
A beleza sem amor, te faz ridículo.
A autoridade sem amor, te faz tirano.
O trabalho sem amor, te faz escravo.
A simplicidade sem amor, te deprecia.
A oração sem amor, te deixa introvertido.
A lei sem amor, te escraviza.
A política sem amor, te deixa egoísta.
A fé sem amor, te deixa fanático.
A cruz sem amor, se converte em tortura.
A vida sem amor, não tem sentido...

Amo, logo existo.




A vida é como um eco, onde você atrai o que você transmite.
Se quer amor, doe amor e será muito bem recompensado :)

O começo


É tão difícil começar, pensar em o que dizer - apesar de sempre termos tanto a dizer - e saber como dizer tudo que se pensa.

Acredito que a cada dia uma nova vida se inicia, com novas oportunidades, novas pessoas, novas situações e velhos amores.



Começo dizendo que nem sempre vemos o começo das coisas. Quando nos damos conta ela simplesmente já aconteceu e não podemos mais voltar atrás. E termino dizendo que todo fim é um novo começo. É o fim desse texto - minúsculo, simples e sem sentido - mas é o começo de um blog novo, com boas propostas para si.


Simples assim, aqui assino o início
Dani Vendramini

Arquivo do blog